domingo, 6 de novembro de 2011

A CONSTRUÇÃO DOS NOVOS DIAS DA TERRA


As velhas estruturas da sociedade ainda repousam na argamassa de indissolúveis bases, criterizadas pelas dependências de outros tempos. A humanidade é exército em constante substituição de seu efetivo e recolhe, ao longo dos séculos, dominadores e dominados sob a égide de mudanças. Porém, o novo é assertiva que mobiliza teorias e, dificilmente, consolida o exercício prático.

Se nos detivermos a olhar a conjuntura da História dos povos, iremos verificar a inconstância do andar evolutivo, marcado pari-passu por uma centena de conflitos que retardam a sua concretização. O que foi idéia brilhante no pensamento socrático, arrefeceu com o passar das gerações de filósofos, até recrudescer uma vez seguinte com a entrada em cena de novos personagens, mas que estão ligados a entidades precedentes.

Os revolucionários da França livre e os tradicionalistas que desejavam a manutenção do império absolutista, resistem ainda na carne a defender os seus próprios ideais. A subjugar opositores, embora em campos e funções divergentes. Ainda assim, prevalece o colorário de razões com que, cada um, multiplicou suas linhas de ataque e defesa.

Estrangeiros em suas próprias nações de anteriores raízes, os seres que iluminaram o pensamento humano se reencontram com aqueles que incendiaram com suas idiossincrasias aviltantes.

O rumo do mundo é chegar ao destino das almas evoluídas. Nenhuma delas, por mais indistinta e indiferente a esse circuito, deixará de atingir o ápice do progresso individual e coletivo, já que o futuro planetário é ater-se ao rol dos corpos celestes onde afigura-se o ideal da perfeição.

Se a Terra, distanciada no espaço dessa marcha evolutiva, ainda retarda o seu desligamento da inferioridade moral, há que ultrapassar essa barreira; até por uma exigência do princípio do progresso. Nela, há de prevalecer o denodo e a justificativa das Leis Maiores, ambientando-a no conceito dos novos tempos.

O mundo humano caminha lenta e gradualmente para a conquista desse ideal. Eternos seres que aqui se estabeleceram um dia, na propagação das virtudes celestiais, retornam ao convívio da atmosfera ainda pesada e difícil, para recompor o trabalho edificado no passado.

As paredes dessa monumental construção começarão a ser erigidas nas estruturas lançadas por muitos dos operários do pensamento que, à exemplo dos mestres ascensionais, trabalharam na divulgação do Bem, do Amor e da Paz. O edifício do pensamento humano volta, agora, a se realimentar da sólida argamassa da Ética, promovendo a expansão do Planeta a um estágio novo e, conseqüentemente, elevando o nível de seus habitantes. Nada que se estruture na concepção da obra criadora permanecerá incólume à grande mudança.