domingo, 12 de fevereiro de 2012

DOMINGO À TARDE, EM VISITA A QUEM JÁ FOI

Um domingo. Não um dia qualquer. Mas um dia para se descansar. Depois do almoço, dormir. E desprender-se no astral. Em meio a muitas entidades que circulam pela dimensão da Luz, deparo-me com um primo, recém desencarnado. 

Ele faleceu depois de uma doença que o deixou muito abatido. E o encontro no lado de lá, ainda com dificuldades até para manter-se de pé. Deitado, conto-lhe que estamos com "muita saudade" dele. E ele acena a cabeça dizendo que sabe disso. Quero saber como ele está e ele me responde ter vindo até ali com nossa avó que, na vida física, teve ele como um dos seus netos preferidos.

Eu pergunto quando poderemos vê-lo outra vez e ele me diz que em abril deve estar pegando "o trem" para vir até a crosta da Terra e poder nos encontrar. Diz que tem uma missão a cumprir nessa vinda. Deixa no ar uma suspeita que eu prefiro não adiantar muita coisa. Mas que sei do que se trata...