domingo, 22 de julho de 2012

SONHOS: MEMÓRIAS EM FRANCÊS

Um sonho curioso. No estúdio da estação onde trabalho, deparo-me com inscrições bem alinhadas, declarações de pessoas que fizeram/estiveram na Revolução Francesa. Uma delas, de uma pessoa do sexo feminino, dá conhecimento ao leitor que naquele espaço renascidos estão os ímpetos do ontem, sufocados pelas lâminas das guilhotinas, mas que ressurgidas no alvorecer de uma nova existência. 

Interessante: as letras surgiam em alto relevo, obedecendo a mesma cor da parede - branca - e ela somente eram vistas de um ângulo do estúdio. 

Num outro lado, consegui divisar uma palavra que me deixou matreiro depois que acordei: 'almeijão'. Procurei no dicionário e não encontrei nada que me explicasse o seu sentido. 

Acordei pensativo e certo de que, naquele ambiente, há um pouco de história através de pessoas com as quais convivo diariamente mas não consigo definir as identidades. 

domingo, 8 de julho de 2012

NA DIMENSÃO DOS SONHOS EM UM ASHRAM

.
Hoje eu andei por dimensões que conheço de leituras. A Índia. Visitei um ashram onde  me encontrei com pessoas que, na dimensão física, são meus amigos Ved e Harbans Al Arora. Os dois me levavam até um sábio antigo muito conhecido na Terra e que explicava o seu novo método de trabalho. 

Dizia-nos estar iniciando um ciclo de reflexões na área circunscrita pela matéria e que necessitava do auxílio de pessoas vontadosas a expandir esse projeto. De sua pregação feita a nosso grupo, lembro-me de ele ter dito que o trabalho será iniciado entre jovens que frequentam shoppings e que necessitam reverter o pensamento para o anti-consumismo. 

Terminou o sonho com uma oração cantada em um dialeto hindu pelas vozes de Ved e Harbans.