terça-feira, 21 de agosto de 2012

Não existe fim no túnel, apenas recomeço


Sabemos que a morte física é uma mudança e não o fim da história de cada indivíduo. No final do túnel da vida há um recomeço para a estrada que leva à dimensão da luz. Nela, vivem os seres que se foram. E é para lá que todos iremos. Vez em quando os visitamos. Ou eles nos visitam. 

Hoje de madrugada tive uma dessas noções via sonho. Alguém poderia imaginar que nada mais que um sonho. Mas um dado que dele extraio me deixa desconcertado ao verificar que o nome citado por alguém (que não conheço) foi encontrado na rede de computadores. 

Sonhei com uma senhora (assim me pareceu pela aparência física) que pedia para que eu escrevesse o nome dela que tinha mudado de dimensão. Morrido em um acidente. E dizia bem pronunciado: Anne Jefferson Meyer. 

Acordei e anotei em duas versões: a inglesa e a aportuguesada Ana Jeferson Maia. Resolvi pesquisar para saber se o Google me daria uma posição sobre alguém com esse nome. Apareceram alguns. Mas o que mais me impressionou foi o de Ella Anne Jefferson, que foi vítima de um acidente automobilístico nos EUA, em dezembro do ano passado. 

 Será a mesma pessoa? Como não é a primeira vez que tenho esses desdobramentos nos quais pessoas da dimensão da Luz se identificam e eu confirmo depois, então isso me parece mais um daqueles lances que homens de Ciência terão explicação nada plausível, enquanto eu e minhas teses temos a afirmar que se trata de uma conexão com o além. Nada mais natural, para todos nós que fazemos parte dessa dualidade: corpo x espírito.

UPDATE: Preso suspeito de acidente fatal em auto-estrada 

Um homem acusado de dirigir drogado em Menifee atingiu fatalmente uma mulher de 69 anos de idade quando o veículo ia a leste de Wildomar em alta velocidade, disse a polícia.
Ella Anne Jefferson, residente em Hemet, morreu de ferimentos sofridos em uma colisão de frente em Domenigoni Parkway na segunda-feira, de acordo com um relatório legista.
O acidente teria sido causado por Ryan Mahan, residente em Menifee, de 20 anos de idade, que segundo autoridades estava dirigindo sob a influência de drogas. Os investigadores encontraram uma parafernália de maconha em seu carro, disse o diretor da California Highway Patrol Diretor Darren Meyer.
Mahan alegou que dirigia para o oeste na Donmegoni em um carro Ion Saturno 2003, quando ele desviou e derrapou fora das pistas, indo chocar-se no canteiro central com uma Toyota a caminho das festas de ano novo.

Jefferson não teve tempo para se mover e bateu o veículo que se aproximava de frente.  Paramédicos declararam que ela morreu no local.
Mahan foi levado para Inland Valley Medical Center, em Wildomar em estado grave, disse Meyer.
O motorista supostamente embriagado espera sobreviver e ser levado para responder por homicídio culposo por suspeita de crime de veículos quando estiver pronto a deixar o hospital.
Cidade News Service contribuíram para este relatório.
Tópicos relacionados: Ella Anne Jefferson , acidente em winchester , acidente em Temecula ,acidente em Winchester e Ryan Mahar
Você sabia que a vítima? Que tipo de pessoa ela era? Diga-nos nos comentários.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

SUICÍDIO, O PRIMITIVO ERRO

E se eu lhe dissesse que, na última noite, minha alma desprendida da prisão que é o corpo, saiu-se muito bem num encontro entre pessoas que, nessa encarnação, as conheço só de nome. Uma delas, dizia em inglês ter conhecimento de minha terra, o Brasil, origem de sua esposa atual em outra vida. Ele, que chegou a notório cargo público, preocupa-se com o instinto selvagem que a alma humana da atualidade convive. 

Interessante percepção eu tive durante o desdobramento, porque em meio a plateia para a qual sua fala se destinava, estavam vivos de outros tempos e que conheci nessa atual jornada. Cada um, como sintonizado numa aura de luz do ambiente, parecia desprender de seus 'corpos' uma pequena radiação vaporosa que circundava todo o ambiente. 

A.S., a figura central da conversa, dizia que todos os humanos, mesmo na carne, nunca se desprendem dos seus laços com a família espiritual. Por isso embarcamos, uma vez ou outra, em visitas aos grupos de nosssa sociabilidade. 

Falou em seguida do temor que deve cercar cada criatura na Terra, em relação a questão do suicídio. "Erro primitivo de eras que já não convencem a consciência humana", ouvi dizer bem claro. Eu assistia a tudo convencido de que, ali, se falava a verdade. E acordei, vindo tomar conhecimento de que o diretor de cinema Tony Scott (Top Gun) havia tirado a vida, lançando-se de uma ponte. 

A M A N H E C E R E M O S


Quem éramos, quando já fomos
Em idas eras, em múltiplas vidas?
Leio que, provavelmente, somos
O que fomos em meio a tantas lidas.

Quem somos! Do que hoje estamos
A ser na existência; somos mistério.
Que a vida não começa no berço
Nem termina na morada cemitério.

Na dimensão da luz de onde viemos
Existem vidas muitas que entrelaçam
outras muitas vidas que perdemos.

A minha existência que contigo levo
É a melhor de todas as que eu já tive
Em busca do que amanhã seremos. 

domingo, 12 de agosto de 2012

as outras bem-aventuranças
Nonato Albuquerque
Bem aventurados, os homens de poucas letras e de muito saber
em quem a Natureza expõe toda a sua maestria.

Bem aventurados, os sem esperança mas que acham motivos
para derramar nos outros as chances de um tempo melhor.

Bem aventurados, os que navegam pela Terra sem bússola, sem rumo
e conseguem auxiliar numa rua, a travessia dos sem memória.

Bem aventurados, os profetas que anunciam chuva e inverno
e mesmo que lhe dêem as costas, sua ciência é verdade exata.

Bem aventurados, os que se acham solitários por sobre o planeta,
mas abrigam em si o conhecimento de que somos uma só família.

Bem aventurados os homens e mulheres de idéias luminosas
cujo facho de luz se projeta em favor não de si mas dos outros.

Bem aventurados, os que amam e embora não haja reciprocidade,
magnificam a Vida com sua luminosa presença de paz...

Bem aventurados, todos e todas que auxiliam os deserdados do bem
ainda que nem considerem ser possuidores dessa sagrada virtude.

Bem aventurados, sejam todos e todas!

as virtudes que alimentam cristo

Esta manhã, um mendigo me seguiu enquanto eu andava em direção ao meu trabalho.

Quando me alcançou, estendeu a mão ressequida e de sua boca um pedido se fez rogo:
- Ajude-me a alimentar o Cristo...
Aquela frase nada habitual aos meus ouvidos, soou como uma profanação. Era preciso ouvir mais, questionar. E devolvi-lhe uma pergunta:
- O senhor tem o mesmo nome do Salvador?
- Não! E nem seria digno de carregar em qualquer uma das minhas vidas, esse nome santo.
- Mas, então, como entender que o senhor pede esmola para o Cristo?
Ele me olhou com uns olhos de quem não olha o que está vendo, mas prescruta os escaninhos da alma e me disse ser realmente para Cristo, o alimento que estava a pedir.
Sorri-lhe, como a dispensar qualquer crédito ao que dizia, mas antes de lhe falar qualquer coisa, ele interpôs sua voz e aduziu:
- Eu o encontrei caído na rua, faminto, sedento. Ladrões o espancaram durante um assalto e levaram suas sandálias, único patrimônio que ostentava, além das vestes.
Não tinha dinheiro, não tinha cartão de crédito, nem tampouco um celular que pudesse satisfazer aos apelos daqueles malditos.
- Perdão cidadão, mas eu tenho pressa. Pegue essa cédula e vê se compra algum alimento para o "seu Cristo"!
- Não senhor, não aceito dinheiro. Ele precisa de outro tipo de alimento. O Cristo só se alimenta de virtudes.
Sorri novamente tentando entender tudo aquilo e quando já iniciava minha caminhada em direção à entrada no prédio onde trabalho, o mendigo me fez voltar um pouco à discussão.
- O senhor diz que o ´seu´ Cristo só se alimenta de virtudes?
- De qualquer fração de bem que alguém possa demonstrar. Ele quer exemplo.
- Está bem. Que tipo de "exemplo", ele deseja?
- Que o senhor faça qualquer gesto de bondade em favor de quem quer esteja necessitado. Isso será uma esmola para o coração faminto do Cristo.
Aquilo tudo me deixava intrigado. Precisava entender melhor e lhe disse:
- O senhor poderia ser mais claro? O que é que devo fazer?
- Só é preciso que o senhor prometa a si mesmo, fazer hoje e todos os dias alguma coisa boa em favor de alguém necessitado. Basta essa promessa e o coração do Cristo se sentirá reconfortado.
- Então, eu prometo. Agora, deixe-me ir trabalhar senão acabo perdendo o meu emprego.
- Desculpe-me. Obrigado pela promessa.

Subi as escadas do prédio em busca do hall de acesso ao elevador, não sem antes olhar novamente a rua. Incrível, no lugar onde deixara o mendigo, o local estava vazio. Voltei à calçada em busca de localizá-lo, mas nada. Ele sumira misteriosamente...

Cheguei aqui ao trabalho e fiquei matutando: quem seria aquele homem? De onde viera? Por que falara aquilo tudo? E por que sumira tão repentinamente?

De uma coisa, cheguei a uma conclusão: que o Cristo (dele ou o nosso) quer de todos nós o exemplo de amor para com todos. E já se satisfaz apenas com a promessa de quem deseja elevar-se nesse campo de virtudes.
para os que ficarem depois que eu já tiver ido 

O corpo que agora baixa à essa sepultura, 
Não sou eu - diria o morto se fosse ouvido. 
É apenas o invólucro temporário que a essa altura 
Estende-se ao chão, da vida agradecido. 

A alma que eu sou e mostra desenvoltura, 
Permanece de pé, com todo o seu sentido. 
Eu permaneço ativo, vivo essa aventura 
Que a vida me propôs e a tenho defendido. 

Ah! crença vã dos que pensam dessa maneira 
Que ao último suspiro, a vida entrega os pontos. 
Como gostaria eu de provar a todos quantos 

assim mourejam na Terra essa fé sem eira, 
Que somos eternos e ambientamos contos 
Que em outros planos se renovam em cantos. 
Metamorfose
um dia peixe, outro dia ave 
Nonato Albuquerque

Um dia peixe, nascemos;
nas muitas águas, rumamos...
e noutro, aves seremos
alçando os ares do mundo.

Um dia sementes na Terra
que, ela, responde com espigas;
num outro, o homem-semente;
que em outro em alma se lança.

Um dia, de peixe das águas
seremos aves, seremos;
para no azul amanhecermos.

Um dia, água dos peixes;
no outro, o vento dos ares
em tudo e todos, presença.

O ESTÔMAGO DO DIABO

Nonato Albuquerque

Um dia, 
esses homens envelhecerão 
E contarão a seus netos - 
se é que vai ser possível! -
As histórias que a guerra alimentou. 

Ruínas, 
destroços, bombardeios, 
Vidas arrasadas 
ao sabor dos tiros 
Que as metralhadoras vomitavam... 

Dirão que saíram de longe, 
de suas terras, 
Embrenharam-se em outras estranhas, 
E despejaram bombas a três por quatro 
Alimentando o estômago do diabo... 

Por que será que os homens são assim 
Tão estúpidos? 
Um dia, eles envelhecerão 
E contarão a seus seguidores, se sobreviverem, 
Que passaram o tempo matando... e morrendo!
Reflexão Dominical 
rotas de luz 

No itinerário sagrado da vida, há razões muitas que são capazes de transformar o homem desesperançado e o conduzi-lo a destinos de vitória. Para isso, preciso é que ele se fortaleça na fé e na esperança de que podemos determinar os rumos do destino.

O eco do passado e as experiências do presente, são forças produtivas e renovadoras a positivar o encaminhamento de toda trajetória humana. Todo futuro se formata a partir do que somos e experimentamos no hoje.

A alma que jornadeia o [ quase sempre ] encrespado mar da Vida, ambiciona sempre conduzir seu barco a uma destinação segura. Anela aportar com ele em um remanso, onde águas tranqüilas o depurem e renovem suas forças, onde vislumbre a segurança de aportagem.

A exemplo de todo marujo prudente, para se chegar a qualquer rota de destino há que se ater a um plano de viagem, cuja carta náutica tem o certificado das nobres virtudes morais.

Por isso, nesses tempos em que tempestades investem contra o barco da existência humana e o deixam em solavancos e trepidações, recomenda-se recompor as amarras de luz que o roteiro da divina sabedoria recomenda.

Põe-te em guarda. Refaz teus planos. Orienta tua bússola. Planifica ultrapassar esses percalços de momento, certo de que ao leme da governança da Terra, está o mestre dos mestres, a guiar a viagem de todos os seres que estão no planeta.

Fortalece-te na fé que responde pelo combustível de toda esperança. Ajuda-te, capacitando-te a servir sempre aos que estão a caminho, que o céu te propõe iluminar as passagens mais difíceis dessa viagem.

Sereniza tua mente. Não vaciles. É tempo de provas e de buscar resultados. Prescruta melhor o caminho. Compreende que é momentânea a provação que te plenifica, ainda que, em alguns momentos, te sintas induzido a largar o barco e declinar do teu plano de viagem.

Sê contigo agora. Deus está contigo. Sempre. 


- NONATO ALBUQUERQUE, 

NUMA DIMENSÃO DO SONHO ONDE UFOS CIRCULAM

Um sonho. Mas que parecia tão real que acordei decepcionado. Por ter acordado. Estava numa rua, que não tenho a mínima ideia de qual o quadrante do mundo, por onde caminhavam pessoas. Uma visão soturna em meio a paisagem de fim-de-tarde, início de noite. Nisso, uma luz corta o céu e me chama a atenção. Uma senhora que passa ao meu lado identifica-o como um OVNI - Objeto Voador Não-Identificado. Eu apenas confirmo com a cabeça. E lá no fim da rua, uma visão ainda mais magnífica. 

 Uma bola de fogo cresce nos céus e toma uma cor entre o vermelho e o alaranjado. Rodopia em torno de seu eixo. E no centro dá para se ver claramente uma cabine e uma silhueta humana - ou coisa que o valha. 

Apresso-me a pegar a câmera do celular e disparo em direção à visão, detendo-me em ampliar bem o zoom ao máximo possível. É quando identifico uma figura estranha de um ser de alvacenta pele e cabelos longos que está manobrando o veículo imerso naquela bola de fogo. 

Na rua, as pessoas vibram. E vozes dispersas pelo ambiente assinalam que "ele voltou!". Um eco gerado pelas múltiplas vozes ressoa no espaço e meus ouvidos passam a escutar de longe, num crescendo, uma música magnífica a sublimar a visão estranha. É quando vou acordando e no quarto onde descansa meu corpo, ainda percebo o som da belíssima canção que vozes muitas entoam... 

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

A mansão dos inocentes

.
Esta semana, em visita a um abrigo dirigido por duas antigas irmãs de Caridade, percebi como ainda é dificil o trabalho de recepção de individualidades recém despojadas do aparelho físico. Elas tomam conta de uma residência na qual se instalam crianças que saem da Terra e necessitam de um tratamento especial para absorverem a nova situação.

Não sei em que região está incrustada a 'mansão dos inocentes', expressão designada por uma das freiras para entender causas e objetivos do trabalho.