domingo, 12 de agosto de 2012

O ESTÔMAGO DO DIABO

Nonato Albuquerque

Um dia, 
esses homens envelhecerão 
E contarão a seus netos - 
se é que vai ser possível! -
As histórias que a guerra alimentou. 

Ruínas, 
destroços, bombardeios, 
Vidas arrasadas 
ao sabor dos tiros 
Que as metralhadoras vomitavam... 

Dirão que saíram de longe, 
de suas terras, 
Embrenharam-se em outras estranhas, 
E despejaram bombas a três por quatro 
Alimentando o estômago do diabo... 

Por que será que os homens são assim 
Tão estúpidos? 
Um dia, eles envelhecerão 
E contarão a seus seguidores, se sobreviverem, 
Que passaram o tempo matando... e morrendo!