domingo, 5 de janeiro de 2014

E LÁ SE FOI 'SEU' ALMERINDO PARA O REINO DAS LUZES

.
Toda quinta-feira, quando eu era convidado a conversar no templo erguido ali na praça da Polícia Militar, eu me encontrava com 'seu' Almerindo, sentado num banco do jardim de sua casa, ao lado do centro espírita que manteve por dezenas de anos. 

Costumava me lembrar de suas experiências espiritistas, além das viagens pelo mundo que fizera noutros dias, quando mais jovem. 

Nos últimos tempos, a sua mente denunciava um pouco do cansaço pela sua quase centenária no ambiente físico. Dera para repetir as conversas de quando embarcado foi parar em outros portos. Nunca deixava de citar fatos que ele registrou no movimento espírita, como as sessões de materialização ocorridas no seu centro, além dos inúmeros atendimentos a pessoas que buscavam a consoladora palavra da doutrina de Kardec. 

Quando o assunto era religião, ele o fazia com extremado apreço, contando nuances da espiritualidade como só alguém de largo conhecimento poderia entender. 

Pois seu Almerindo se foi para o reino das luzes hoje, por volta das 3 horas da madrugada. Uma voz ao telefone me comunica a passagem, pedindo que eu repasse aos amigos e conhecidos a informação. 

Para essa sua viagem, leva uma bagagem meritória de préstimos à doutrina dos espíritos consoladores e a certeza de ter cumprido a sua etapa de aprendizado e de ensino. Do outro lado da nossa dimensão, que ele possa reencontrar - com lucidez - a família, os amigos e os gênios que tutelaram seu trabalho nesses longos e longos anos. 

Saudades, 'seu' Almerindo!