domingo, 20 de abril de 2014

A Quarta Academia

Em alguma parte da erraticidade existe uma colônia de abrigo chamada ‘Quarta Academia’. Por ela transitam almas que migraram da Terra após uma experiência corpórea ligadas ao pragmatismo, baseando-se única e exclusivamente nos ditames Ciência e, por convicção pessoal, se distanciaram dos postulados do amor, da benemerência e da caridade – o ABC que, verdadeiramente, promulga os corações mais elevados .

Nessa colônia, embora cônscios do saber científico, antigos experimentadores da Ciência elegeram a produção do mal no exercício de suas atividades profissionais. Os que lançaram mão de projetos destruidores; os que narcotizaram indivíduos com suas poções venenosas; os que aplicaram métodos mortíferos na degradação da raça; os que lucraram com a eutanásia e o aborto; os que estimularam equivocados à prática do suicídio e os que, por desacreditarem na divina ciência do Bem, simplesmente se desviaram desse caminho, levados pela ganância do Ter.

Na ‘Quarta Academia’ são ministradas palestras de orientação cósmica no sentido de que esses seres possam ser informados da sua nova realidade, já que muitos, simplesmente, não têm a menor consciência da mudança de dimensão. 
Com a morte física, muitos são os que permanecem atrelados às suas idiossincrasias, convictos de que continuam a exercer atividade na matéria, embora se surpreendam com as dificuldades que, inopinadamente, surgem na área da comunicação com a família e os amigos e da estranha maneira como todos passaram a reagir com ele. 

Numa dessas aulas experimentais, um mestre ascensionado dirigia a palavra aos presentes e lembrava-lhes da importância da informação. Lembrava do eminente grego que, em vida, indicava aos seus discípulos que “aprender é recordar”, referindo-se, evidentemente, à crença das vidas múltiplas disseminada entre a sua civilização. 
A cada existência, pois, acumulamos conhecimentos muitos que, depois de mortos, ficam anexados nos arquivos da alma - e que Freud iria se referir como sendo os arquétipos. Em futuras vivências na Terra, cada um busca reavivar essas informações, de acordo com o interesse pessoal. 

A metodologia empregada na Quarta Academia não faz imposição a nenhuma crença religiosa aos egressos da Terra; busca lhes informar sobre o conhecimento que, por vontade própria, eles rejeitaram e que é necessário para a convivência na nova realidade espiritual.

Muitos dos que exerceram atividades proeminentes na seara terrena, vão aos poucos sendo sensibilizados para algumas verdades que são princípios vitais na dimensão do espírito. De acordo com o interesse, esses novos alunos vão adotando uma nova postura com relação às práticas mais simples da ciência da paz, do amor e da benemerência, esses sim, elementos indispensáveis para se nutrir da energia que fortalece os seres na longa jornada através das novas experiências que, porventura, devam cumular na matéria.

Visões a partir de um sonho 20.4.14