sábado, 7 de fevereiro de 2015

O LADO B DA VIDA


Saí, porque estava em tempo, 
andava tonto
Pensar que esperava um século, não deu...
Voltei. 
Tomei um tanto. Vomitei outro.
Falei muito géri-géri
“Pra rever os amigos que um dia, eu deixei”

Atrás de mim, 
rastros de poeira nas estradas
‘Por onde quer que eu vá, sei que vou sozinho”
Pra onde vai esse povo 
que parece um zumbi?
Eu hein? 
Dá uma olhada se eu morri direito.

No lado B da vida, 
é tudo uma mesma coisa
A gente ama. Bebe. Sofre... 
e, dizem, até se morre
Pra conseguir um crachá de volta ao lado A

Nascer de novo, por aí, segundo Buda
É preciso não ser bundão
e ter, pelo menos, alguns bônus...
Eu como quem não quer querendo, 
acredito!