sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Do pó ao pó

o amor que te devoto
nessa ânsia de loucura
é o mesmo que procura
o relâmpago no ignoto

o abandono que me dás
em troca desse afeto
é o que ao ser mais abjeto
lhes dão as pessoas más

não preciso de tua carne
nem me alegra teu destino
o que me encanta és tu só

ainda que eu desencarne
e volte como um menino

amar-te-ei do pó ao pó.