sábado, 11 de agosto de 2018

Psicografia 10 8 18


Numa reunião de provas, onde todos narram suas experiências pessoais, a plateia formada por antigos deficientes físicos observam quão afortunada foi a passagem pelo veículo físico.
Cegos admiravam-se por terem enxergado mais a si mesmos embora não tivessem deslumbrado a luz externa.
Surdos, aliviados do silêncio secular, contavam como se ouviram ao longo de suas provações.
Aleijados, incapacitados de se mobilizarem, atentaram como conseguiram andar pelo esforço do pensamento.
Rejeitados por não terem membro, contavam como atingiram a plenitude de descobrir em si, o valor evidente de outros membros.
Ao saber pelo orientador que todos haviam concluído o curso com notável maestria, os que antes se lamentavam o corpo deficiente deram graças ao Senhor do destino, por ter-lhes oportunizado o capítulo mais importante das experimentações físicas da alma.
Todos ergueram uma prece à Deus e concordaram por gratidão que, se outra chance de vida tivessem, gostariam de exemplificar esses notáveis fatos, aos que nascem são Terra mas desperdiçam essa plena consciência de Vida.