sexta-feira, 15 de março de 2019

PRA NÃO MORRER DE NOVO

Não pense que ando louco
pensando em coisas tantas,
como escrever um pouco
sobre como andei às quantas.

vivo um inferno intenso
no mar dessa mudança,
que eu, às vezes, penso
acabada a música, finda a dança

Rolei a ribanceira da morte
como uma pedra surda
e só parei porque tive auxílio.

alguém de quem tive a sorte
me ajudou de forma “absurda”
a não morrer de novo, nesse exílio