sábado, 2 de novembro de 2019

Tempo, senhor da razão


TEMPO, SENHOR DA RAZÃO
Assim como os antigos, temos muitos deuses
Embora nossa crença direcionada a um único.
Um deles é o Tempo. Ele é senhor de todos nós.
A nos mandar e comandar. Somos dele, escravos.
Perdê-lo, imperdoável. Matá-lo, pretensão tô-la.
Por isso, muitos estão a lembrar da sua corrida;
Da pressa que devemos, pois que ele é passante.
Que a hora é chegada, que o tempo não espera,
Que é perda de tempo se perder entre as horas
E, mesmo que tivéssemos mais do que as do dia,
O tempo entre o nascer e o deixar de ser, é ínfimo.
Na pressa dessa Vida, o Tempo é um cobrador
Que bate à nossa porta, exigindo a nossa pressa;
O tempo urge. A hora é chegada. Acabou o tempo.
Muito embora, esse deus, infinitamente dure.