domingo, 28 de agosto de 2011

UM CORAÇÃO QUE AMA O ALTO MAIS ALTO SE PROCLAMA



Quando eu conseguir fazer da Terra o paraíso de meu coração, virtude suficiente terei para atingir o meu mais recôndito sonho.

MÚSICA PARA RELAXAR


Meditação de domingo



Não há limites para a mente que deseja o possível
Movida pelo bem, ela é capaz de atingir metas inacreditáveis.
Muitas pessoas ainda não concebem essa verdade,
estacionadas que se acham no seus próprios domínios.
A luz da manhã nova que surge a cada novo dia
convida o humano ser a distanciar das sombras que a noite deixou.
Perder pelos caminhos do eu, a egocêntrica forma de ser
para sagrar-se a inspirada maneira de vida.
Só os sábios que já circularam por essa estância
são capazes de eliminar em si mesmo, todas as dificuldades.
E agem, tranquila e ordeiramente, na consecução do Bem.
Alma nenhuma está impedida de projetar o impossível até
desde que se acerque da sua própria capacidade de fé.
O homem é patrimônio divino, hospedado momentaneamente
para uma vez seguinte alcançar as estrelas.
A união de seres através da energia transformadora do amor
revitaliza a essência anímica que há em cada um
e ele é capaz de alcançar o paraíso ainda na Terra.

sábado, 27 de agosto de 2011

LIÇÕES. Todo mundo gostaria de ser...



Tão harmonioso quanto Bach
Tão bondoso quanto Chico
Tão inteligente quanto Einstein
Tão perfeito quanto Jesus
Tão pacífico quanto Gandhi
Tão justo quanto Salomão
Tão santo quanto Francisco
Tão caridoso quanto Tereza de Calcutá
Tão belo como David de Michelângelo
Tão habilidoso quanto Dumont
Tão eficiente quanto Sabin
Tão paciente quanto Jó
Tão engraçado quanto Chaplin
Tão inspirado quanto Wagner
Tão poeta quanto Neruda
Tão sentimental quanto Romeu
Tão amorosa quanto Julieta
Tão forte quanto Sansão
Mas tão simples quanto Tolstoi
Tão musical quanto Jobim
Tão bom quanto Drummond
Tão virtuose quanto Mozart
Tão desbravador quanto Rondon
Tão famoso quanto Lennon
Tão bonito quanto Pitt
Tão sincero quanto Galileu
Tão grande quanto Alexandre
Tão sólido quanto Zé Alencar
Tão fiel quanto Abrão
Tão sábio quanto Hawkins
Tão ativa quanto Madame Curie
Tão gente como qualquer um.

Não é preciso tanto esforço,
Basta Ser, antes de querer Ter.

ALTERNATIVAS PARA UM SÁBADO ASSIM INSANO



O chão da rua
Me mostra pássaros em movimento
Aves singando nos céus
E as sombras delas se projetando no asfalto.
Passo com minhas rodas em velocidade
E nem vejo que andorinhas e pombos
Compartilham o mesmo vôo.
Onde foi mesmo que já vi esse filme?
Estou em vigília e não sonho isso
Embora pareça flashes evocados da noite passada
Quando atravessei o rio das mortes
E me encontrei com entes que já (se) foram
Meus vizinhos e conhecidos de outros dias
Construindo um novo momento
Na dimensão que há depois da vida física.
Enquanto viajo para casa
Dianne Schurr me leva ao passado
E o som das grandes divas do jazz
Me repõem no bar do seu Emílio Calixto,
Onde ouvi pela primeira vez Gershwin,
Enquanto homens jogavam bilhar
E eu desfrutava o meu primeiro ‘doce gelado’.
Acopiara é uma extensão do meu umbigo
Lá se vão seis décadas de meus dias ali
Correndo entre a calçada da Paulino Félix
(hoje redenominada Celso Castro)
E o quintal de cerca de muitas fruteiras.
O cheiro de manga rosa espargindo no ar
O mugido das vacas no curral próximo.
O leite também mugido no caneco de ágate
O padeiro deixando o pão na janela
A ida ao açougue para comprar fígado, às tardes
E a fuga para o matadouro onde os bois
Eram sacrificados na arena armada.
Um dia, a descoberta do nonato na vaca morta,
E a carne retirada, nervosamente se bolindo.
Flashes de memória de quem volta ao passado
E corta um pouco a rotina do hoje.
É preciso, vez em quando, voltar a outros dias
Para compensar a pressa do calendário atual
Que, num átimo, faz dos meses cinzas
Anoitecendo o tempo em nossa pele
E armando peças para a nossa memória.
O tempo é curto; o mundo é pequeno
Mas só Deus é maravilhosamente grande.