sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A relação do Natal com antigas festas pagãs

.
Um artigo de Israel Campos Méndez, publicado hoje no site Que Aprendemos Hoy fala sobre as singularidades que existem entre os festejos natalinos de hoje e algumas festas pagãs do passado. Para conhecimento de nossos leitores resolvemos transcrevê-lo:

O Natal é uma das festas mais importantes do ano . É comemorado o nascimento do Salvador, o menino Jesus, que desceu do céu como um mero mortal, para dar a sua vida para o seu povo. Mas a celebração deste fato, é tão simples quanto parece?

Se olharmos para trás, descobriremos que plásticas e figurativas artes cristãs primitivas beberam pesadamente de obras pagãs de seu tempo. Da mesma forma podemos relacionar suas festas e até mesmo estudar a semelhanças entre o salvador cristão e certos deuses pagãos. Se voltarmos a ver algumas antigas práticas pagãs, sem dúvida, iremos verificar grandes semelhanças com os feriados cristãos como o próprio Natal .

Na antiga Roma as celebrações da Saturnália foram realizadas em comemoração a Saturno, deus da agricultura. Os romanos distribuíam presentes entre si, durante uma semana, dando um fim a essa festa em torno de 24 de dezembro com um grande sacrifício animal. Este era o prelúdio para a temporada de férias atual. O clímax veio no ano 274, quando o imperador Aureliano, institui em Roma as festas em honra ao deus Sol, que eram realizadas no dia 25 de dezembro.

A festa do Sol Invictus inspirara-se na religião mitraica, muito popular entre os soldados romanos do século I AC. Entre velas e tochas para iluminar a passagem do fim do ano e o nascimento do novo. Coincidindo com o solstício de inverno, a festa ao Sol Invictus era celebrada como um sinal de renascimento.

Teríamos de esperar até o ano 300, sob o reinado do imperador Constantino, o Grande, quando as festividades sentaram as bases para a celebração do nascimento de Jesus, o Messias cristão. A primeira manifestação da festa de Natal, como tal acontece, teve lugar no ano de 336.

No entanto, existem algumas semelhanças entre essas religiões e parte da celebração ao deus ‘Sol Invencível Mitras I’, o deus persa. Ele nasceu no mesmo dia do Natal cristão, numa caverna primal, perto de uma fonte, em que pastores e sábios vieram adorá-lo.


Diz-se que o mitraísmo poderia ser fator de uma grande influência para o cristianismo. Não há dúvida de que as semelhanças entre eles são impressionantes. 

O mundo da religião é complexo, dividindo-se em aspectos que fazem duvidar do que seja original ou do que seja uma história simples que tente atrair seus fiéis. Dispensado tal efeito, o seu estudo torna-se essencial para compreender a história da humanidade.

Atualmente, talvez, o Natal tenha perdido o aspecto religioso para se tornar mais comercial, mais um exemplo da contínua evolução a que estamos sujeitos. O que é incontestável é que, dada a importância das datas, deva ser considerada como parte do Patrimônio Cultural Imaterial. O Natal é uma grande referência histórica, que inclui, em uma única celebração religiosa, características únicas de diferentes religiões pagãs.

Como é que você acha que vai terminar o Natal realizado com um propósito diferente?