domingo, 8 de fevereiro de 2015

VIDAS TRANSITÓRIAS



Um dia, quando eu deixar a terrena presença
Não alimente sua dor com ais de sofrimento,
Pois vivo estarei, assim como neste momento
Eu sou. Não limite outra que não essa crença.

Todos somos passageiros com alguma licença
De elevar nessa vida corpórea um sentimento:
Há quem o chame de amor, esse doce alimento
Há quem o diga ser paz essa terna querença.

Chorar porquê se, logo logo, todos estaremos
Juntos na dimensão da Luz que nos aguarda
para cumprir o destino das vidas transitórias

Agradecer sim, é o que todos nós devemos
Na hora de alcançar essa outra mansarda
Onde nos reuniremos para somar as vitórias.

® Nonato Albuquerque