sábado, 30 de abril de 2016

Mensagem de um mestre ascensionado


Havia uma assembleia 
onde profitentes muitos se reuniam em torno da mensagem 
consoladora do mestre

Aguardavam todos
o sublime mensageiro que dos mais altos páramos chegaria 
aureolado de luz.

O salão anuviou-se
e, aos poucos, uma figura etérea surge densificando-se 
ante olhares atentos. 

era um dos mestres 
que se materializava na dimensão mais próxima da Terra 
depois de tantos anos.

Ouviu-se sua voz serena   
tanger o silêncio do ambiente e aclimatar nossos ouvidos
à mensagem de esperança. 

"Eleitos do Senhor, 
iniciada é a era do compromisso, em que atitudes impensadas
não mais serão aceitas. 

"Os que se confiaram 
ao exercício da virtuosa bondade, precisam largar as teorias 
e assumir suas práticas

"Em breve, esse planeta
sofrerá alteração do vórtice e implementar-se-ão as mudanças 
de fundamentação moral

"Os mansos e pacíficos 
serão atraídos à vitalidade da causa e iniciarão o desiderato 
do amor divinizado. 

"Os que hoje tumultuam, 
alijados serão da rota da Vida, destinados que são atualmente 
aos abismos do cosmos. 

"Alimentarão núcleos 
onde ainda imperam o instinto e os impulsos animalescos 
que vivenciam agora. 

"É chegado o instante
de aprimorar-se na Terra, a esperançada hora da mudança
anunciada pelo Mestre. 

"Sejamos seguidores 
de suas virtudes múltiplas, em benefício dos novos tempos 
que já estão em prática.

"O sagrado se permitirá 
a estampar-se na alma dos que vivenciam essa maturidade 
e que reinarão por aqui. 

"Agradeçamos ao Pai, 
a gentileza de operar, nesse momento de acréscimo à rota, 
a elevação moral. 

"Bendigamos a todos
os que se distanciaram do Mal, mas que, ainda por um tempo, 
devem ser pacientes. 

"Invocamos os anjos 
tutelares da Terra a reaproximarem todos os condutos de ajuda 
para a mudança final. 

"Agradecidos estamos 
pela atenção de todos a essas iniciativas fortuitas que levam 
a Terra a novo parâmetro". 

Aos poucos, a imagem 
foi-se diluindo como um halograma extraído de outra dimensão
e agradecidos ficamos. 

(Nonato Albuquerque)