sexta-feira, 24 de novembro de 2017

P de poesia

eu sou um homem calmo
calmo como quando o rio
deixa de correr e deita-se
no leito de suas mil águas

eu sou alguém que palmo
a palmo aceita um desafio
foge de quem se aproveita
só pra contar suas mágoas

eu sou um bicho que anda
em dias desse meu báratro
com as pernas, minhas duas

e quando a noite desanda,
me arrasto por esse quarto
já que não vou mais às ruas