sábado, 12 de maio de 2018

Novas sagas



o fogo que arde em mim é de chamas antigas
que nunca debeladas foram em meu espírito;
de eras tirânicas, de pátrias que eram amigas  
 e que séculos passados, carrego ainda contrito.

a dor dessa vingança já me cobriu de escamas
em vida atormentada que só me trouxe atrito.
fui déspota de cavalheiros, crápula de damas
em busca de resposta ao meu íntimo adstrito

transpus séculos em corpos, vidas malsinadas,
percorri a nobreza, me embriaguei na vilania
para renascer pobre, coberto de muitas chagas

hoje, conhecedor do que fui em épocas passadas
agradeço a Jesus, essa bendita alquimia
de mudar o passado e futurar-me em novas sagas.

(Inspirado em Jésus Gonçalves)