domingo, 11 de novembro de 2018

Às vezes, mil...


às vezes, eu sou triste
quando me olho no tempo
e vejo que os sonhos do passado
ficaram no passado.
Mas sou alegre muito,
quando recolho dos pesadelos
a lembrança de que eles
não me foram tantos.

às vezes, ando magoado
por quantos amigos eu fiz
e que poderia ter multiplicado
essa soma de amizade.
Mas quando me vejo
sincero aos que eu tenho
me reequilibro e confesso
como eu os estimo.

às vezes, eu choro sozinho
pelas maravilhas do mundo
quando alguém consegue
se mostrar feliz por tudo.
é que eu vivo a alegria
dos outros como se minha
fosse; choro felicidade
pelo que sou, mil vezes...